Rotulagem

As normas adotadas no Laboratório de Resíduos Químicos para rotulagem baseiam-se numa classificação feita pela NFPA (National Fire Protection Association), que desenvolveu um sistema padrão para indicar a toxidade, a inflamabilidade e a reatividade de produtos químicos perigosos.

Esse sistema é representado pelo Diamante do Perigo. Esse diagrama possui sinais de fácil reconhecimento e entendimento, os quais podem dar uma idéia geral do perigo desses materiais, assim como o grau de periculosidade. É chamado de Diagrama de Hommel e seus campos são preenchidos conforme descrito abaixo:

captura-de-tela-de-2016-10-03-091608

Para o preenchimento do Diagrama pode-se consultar sites de universidade internacionais ou livros que contenham fichas MSDS (Material Safety Data Sheet), ou também chamados de FISPQ (Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico), onde a classificação de cada produto químico pode ser encontrada. Um site que possui um grande número de fichas MSDS é o www.siri.org, onde os produtos químicos podem ser consultados através de uma busca (www.siri.org/msds/index.php) por seus respectivos nomes em inglês, idioma nativo do site.

Além do Diagrama de Hommel, o rótulo deve estar totalmente preenchido. Deve-se completar a etiqueta com o nome do produto/resíduo principal e, no espaço reservado para produtos/resíduos secundários, deve-se descrever todos os demais materiais contidos nos frascos, mesmo os que apresentam concentrações muito baixas (traços de elementos) e inclusive água. Informações como o nome do responsável, procedência do material e data são de grande importância para uma precisa caracterização do material. Desta forma uma etiqueta deve conter os seguintes campos: Etiqueta Colorida a ser Preenchida

etiqueta

Há ainda algumas regras a serem seguidas, como descrito abaixo, para realizar corretamente uma rotulagem e identificação em produtos ou resíduos.

  1. A etiqueta deve ser colocada no frasco antes de se inserir o resíduo químico para evitar erros;
  2. Abreviações e fórmulas não são permitidas;
  3. O Diagrama deve ser completamente preenchido, ou seja, os 3 itens (risco à saúde, inflamabilidade e reatividade) – consultar as fichas MSDS;
  4. Se a etiqueta for impressa em preto e branco, esta deve ser preenchida usando canetas das respectivas cores do Diagrama;
  5. A classificação do resíduo deve priorizar o produto mais perigoso do frasco, mesmo que este esteja em menor quantidade.

O LRQ disponibiliza ainda, no intuito de esclarecer e informar, alguns arquivos para download que abordam este e temas relacionados, confira abaixo.

  1. Rótulo para frasco de resíduo
  2. Ficha de acompanhamento do frasco de resíduo

 

estatisticas gratis