Inflamabilidade

A inflamabilidade é definida levando em conta a temperatura na qual o líquido emite vapores capazes de sustentar combustão, chamada de “ponto de fulgor” (flash point) e a temperatura de ebulição. Quanto menores forem essas temperaturas, maior o risco. Líquidos como acetaldeído, éter etílico, dimetílico e de petróleo, óxido de etileno, propano, acetona, etanol, isopropanol, ciclo-hexano, acetonitrila, benzeno, etc são altamente inflamáveis. Por exemplo, o éter de petróleo pode emitir gases combustíveis a -46oC. (46 graus abaixo de zero).

As recomendações a seguir constituem uma compilação de medidas a serem tomadas seriamente, constituindo parte das futuras normas de segurança e destinação de resíduos do Instituto.

Procedimentos de Prevenção para Evitar Acidentes com Líquidos Inflamáveis

A estocagem de líquidos inflamáveis não deve ser feita em geladeiras domésticas, dados os riscos envolvidos. A refrigeração não evita a formação de vapores e a estocagem deve ser feita em recipientes adequados (apropriados para inflamáveis), em armários destinados a essa finalidade e em local afastado e bem ventilado. O pequeno efeito da temperatura de refrigeração sobre a evaporação do líquido não justifica os riscos. As geladeiras apropriadas para estocagem de líquidos inflamáveis são chamadas “blindadas” (explosion-proof) e têm um preço muito elevado o que dificulta sua compra.

Um exemplo de recipiente adequado é o “container de segurança” (safety can) mostrado abaixo, com sistema corta-chamas (fig. 1). Dependendo do líquido a ser contido, pode se escolher entre os fabricados em metal ou em polietileno.

Recipientes desse tipo devem ser estocados em armários para líquidos inflamáveis que podem inclusive ter fechamento automático.

Os armários contendo líquidos inflamáveis (fig. 2) podem ser colocados em local ventilado, de forma a evitar o acúmulo de eventuais vapores emanados dos recipientes.

figura1

figura2

Alguns cuidados devem ser adotados em relação aos produtos inflamáveis, tais como menos:

  • A minimização da quantidade de substâncias inflamáveis nos laboratórios, agendando as compras de acordo com o consumo;
  • Usar líquidos inflamáveis somente na capela, não na bancada, utilizando equipamento de proteção individual (luvas, óculos de proteção, avental de algodão, etc.);
  • Rotular todos os recipientes contendo substâncias inflamáveis e combustíveis com letras e cores chamativas, e o Diagrama de Hommel.
  • Guardar as substâncias inflamáveis e combustíveis em recipientes e armários adequados, em locais bem ventilados;
  • Manter as substãncias inflamáveis e combustíveis afastadas o máximo possível de fontes de calor, chama (bicos de Bunsen) e de ignição (faíscas, eletricidade estática, máquinas, equipamento elétrico, etc.);
  • Instalar chuveiros de segurança e lava-olhos em locais de rápido acesso;
  • Proibir de fumar em qualquer dependência laboratorial ou próxima;
  • Proibir o despejo de líquidos inflamáveis ou combustíveis na rede de esgotos;
  • Desobstruir os corredores e saídas das construções;
  • Proibir a estocagem de substâncias inflamáveis ou combustíveis nos corredores;
  • Desobstruir o acesso a equipamentos de combate a incêndios (extintores, mangueiras, etc.) e painéis de eletricidade;
  • Aterrar os recipientes que contenham líquidos inflamáveis para evitar eletricidade estática;
  • Treinar de forma regular as pessoas envolvidas no trabalho laboratorial em relação aos procedimentos de segurança, de destinação de resíduos e de emergência, obrigando os docentes e técnicos de laboratório, em particular, a comparecer aos cursos de treinamento;
  • Manter uma Brigada de Prevenção e Combate a Incêndios devidamente treinada e equipada;
  • Efetuar a instalação de detectores de fumaça e alarmes contra incêndio em todos os laboratórios que ofereçam maior risco de incêndios;
  • Não aceitar que pessoas de outros laboratórios deixem recipientes de qualquer tipo em outros laboratórios, devendo comunicar aos responsáveis pelo laboratório imediatamente ocorrências desse tipo.

Dicas Úteis:

  • Os reagentes químicos, em particular aqueles de maior risco, eventualmente podem ser substituídos por outros que não envolvam riscos de manipulação nem agressão ao meio ambiente.
  • Você tem reagentes químicos em seu almoxarifado que não vai usar nos próximos meses ou nunca? Disponibilize-os no Banco de Insumos Químicos. Alguém poderá utilizá-los!
  • Analise criticamente seus protocolos experimentais de pesquisa e de aulas práticas. Veja o que poderia ser mudado ou minimizado para diminuir ou eliminar os resíduos tóxicos a serem descartados.
  • Antes de começar a trabalhar com uma determinada  substância química, procure a FISPQ (ficha informativa sobre segurança de produtos químicos) ou MSDS (material safety data sheet) nos sites da internet. Fique atento às informações sobre inflamabilidade, reatividade, corrosividade e toxicidade.
estatisticas gratis