DISCIPLINAS MESTRADO PROFISSIONAL

Obrigatórias:
– Teoria da História (60h)
– História do Ensino de História (60h)
– Seminário de Pesquisa (45h)
– Seminário Tutorial (45h) 

Eletiva
– Livre

Optativas

– Didática da História: Trajetórias, desafios e perspectivas (60h)
– Ensino de História da África e da Cultura Afro-brasileira (60h)
– Ensino de História e a questão das temporalidades (60h)
– Educação Patrimonial e ensino de História (60h)
– Produção de Material Didático e o universo virtual (60h)
– Narrativa, imagem e a construção do fato histórico (60h)
– Metodologia no ensino de História: o pesquisador-professor e o professor-pesquisador (60h)
– Currículo de História: memória e produção de identidade/diferença (60h)

TEORIA DA HISTÓRIA
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Sim
Área(s) de Concentração: Ensino de História
Carga Horária: 60
Creditos: 4
Docentes:
– Rosângela Maria da Silva Petuba
– Renato Lopes Leite

Ementa:
O estatuto epistemológico da história. História, historiografia e historicidade. Tempo histórico e experiência. Usos do contexto. Objetividade e subjetividade em história. O particular e o geral. História, verdade e prova. Retórica e conhecimento histórico. História e memória. História e identidades sociais. A narrativa histórica. O método histórico. O uso dos conceitos pelo historiador. A construção do objeto histórico. A operação historiográfica: lugar social, práticas e texto. Arquivo, compreensão/explicação e representação. Os conceitos antigo e moderno de história. A história-problema. Escalas de análise. Teorias e filosofias da história. A disciplinarização da história. A história como ciência social.

Bibliografia:
ANKERSMIT, F.A escrita da história: natureza da representação histórica. Londrina: Eduel, 2012.
ARENDT, H.. O conceito antigo e moderno de história [1954]. In: _____. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2000.
BOURDÉ, G. e MARTIN, H. As escolas históricas. Lisboa: Europa-América, 1990.
BOUTIER, J.,Passados recompostos: campos e canteiros da História. Rio de Janeiro: Editora UFRJ: Editora FGV, 1998.
BURKE, P.. A Escrita da História (Novas Perspectivas). São Paulo: Editora da UNESP, 1992.
CERTEAU, M.. A escrita da História. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.
FOUCAULT, M.. Sobre a arqueologia das ciências. Resposta ao Círculo da Epistemologia (1968). In: _____. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Organização e seleção de textos de Manoel de Barros da Motta. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000, p.82-118.
GADAMER, H. e alii (org.). O problema da consciência histórica. Rio de Janeiro: FGV, 1998.
HARTOG, F.. Régimes d’historicité. Présentisme et expériences du temps. Paris: Seuil, 2003.
HUNT, L. (org.). A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
IGGERS, G. La ciencia histórica en el siglo XX. Barcelona: Idea Books, 1998.
JENKINS, K. A história repensada. São Paulo: Contexto, 2004.
KOSELLECK, R. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.
MALERBA, J. et alii.  Historiografia contemporânea em perspectiva crítica. Bauru: EDUSC, 2007.
MUDROCVIC, M. . Historia, narración y memoria. Los debates actuales en filosofia de la historia. Madrid: Akal, 2005.
MUNSLOW, A.. Desconstruindo a história. 1a. ed. 1997. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
OPHIR, A. Das ordens do arquivo. In: SALOMON, Marlon (org). Saber dos Arquivos. Goiânia: Ricochete, 2011, p. 73-98.
PROST, A.. Doze lições sobre a história. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.
REVEL, J. Proposições. Ensaios de História e Historiografia. Rio de Janeiro: Ed.UERJ, 2009.
_____. História e historiografia: exercícios críticos. Curitiba: UFPR, 2010.
RICOEUR, P.. A memória, a história, o esquecimento. Campinas, SP: UNICAMP, 2007.
RUSEN, J.. História Viva. Teoria da História III: formas e funções do conhecimento histórico. Brasília: UnB, 2007.
RUSEN, J.. Razão Histórica. Teoria da História: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: UnB, 2001.
RUSEN, J.. Reconstrução do Passado. Teoria da História II: os princípios da pesquisa histórica. Brasília: UnB, 2007.

HISTÓRIA DO ENSINO DE HISTÓRIA
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Sim
Área(s) de Concentração: Ensino de História
Carga Horária: 60
Creditos: 4
Docentes:
– Maura Regina Petruski

Ementa:
A emergência da história como campo disciplinar no século XIX. Os debates acerca do lugar do ensino da história. As diferentes concepções sobre  o  ensino,  a  aprendizagem  e  os  conhecimentos  históricos  necessários  para  a  história  escolar.  A  trajetória  do  ensino  de  história  na educação  básica.  A  criação  dos  cursos  universitários  de  história  e  a  profissionalização  dos  professores.  A  produção  historiográfica  e  a articulação entre o saber acadêmico e o saber escolar. Demandas sociais e ensino de história.

Bibliografia:
BITTENCOURT,  Circe.  Livro  didático  e  conhecimento  histórico:  uma  História  do  saber  escolar.  São  Paulo:  Loyola,  1990.
_____.  Pátria,civilização e trabalho. O ensino de história nas escolas paulistas (1917-1939). São Paulo: s/e, 1988.
_____. O saber histórico na sala de aula.São Paulo: Contexto, 2001.
CEZAR, Temístocles, Lição sobre a escrita da História. Historiografia e nação no Brasil do século XIX, Diálogos. Maringá, (8):11-29, 2004.
FERREIRA,  Marieta  de  Moraes.  O  Ensino  de  História  na  Faculdade  Nacional  de  Filosofia  da  Universidade  do  Brasil.  Manguinhos  –  História,Ciências, Saúde, Rio de Janeiro, 19(2), abril-junho 2012.
FONSECA, Thaís Nívia de Lima. História e Ensino de História. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
GONCALVES, Marcia de Almeida et alii. Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: FGV, 2012.
JOUTARD, Phillippe. L’enseignement de l’histoire. In: BÉDARIDA, François (org.). L’histoire et le métier d’historien en France 1945-1995. Paris:Éditions de la Maison des sciences de l’homme, 1995, p. 45-55.
MATTOS, Ilmar Rohloff de (org.). Histórias do ensino de História do Brasil. Rio de Janeiro: Access, 1998. MONTEIRO, Ana Maria. Professores de História: entre saberes e práticas. Rio de Janeiro, Mauad, 2007.
NADAI, Elza. O ensino de História no Brasil: Trajetória e perspectivas. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 13, n. 25/26, p. 163-174, set. 92/ago.93.
OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de. O direito ao passado. Uma discussão necessária à formação do profissional de História. Aracaju: Editorada Universidade Federal de Sergipe, 2011.
REZNIK, Luís, A construção da memória no ensino da História. In: FICO, Carlos; ARAÚJO, Maria Paula (org.). 1964-2004: 40 anos do golpe: ditadura militar e resistência no Brasil. Rio de Janeiro: 2004, p. 339-350.
FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da história ensinada. Campinas: Papirus, 1993.

ELETIVA
Nível:Mestrado Profissional
Obrigatória:Sim
Área(s) de Concentração: Ensino de História
Carga Horária: 60
Créditos: 4

Ementa:
Ementa livre

Bibliografia:
Não se aplica

DIDÁTICA DA HISTÓRIA: TRAJETÓRIA, DESAFIOS E PERSPECTIVAS
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Luis Fernando Cerri
– Angela Ribeiro Ferreira

Ementa:
Didática da história como campo de pesquisa e disciplina acadêmica. Trajetória de construção da Didática de História. Diferentes concepções de didática  e  suas  implicações  para  o  processo  de  ensino-aprendizagem  de  história.  Planejamento  e  Avaliação  em  História.  A  sala  de  aula  de História. Recursos didáticos como suportes do conhecimento histórico recontextualizado em objeto de ensino. Papéis e usos do livro didático em sala de aula. Escola como espaço de formação do professor de história

Bibliografia:
ABREU, Martha e SOIHET, Rachel (org.). Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra / FAPERJ, 2003.
BITTENCOURT, Circe. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2005.
KARNAL, Leandro (org.). História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2003.
SCHMIDT, M. A. e CAINELLI, M. Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004.
SILVA, Thelma N. M. B e RABELLO, Heloísa. O Ensino da História – utilização do documento escrito. Niterói: EDUFF, 1992.
SOUSA, Ana et alii (org.). Novas estratégias, novos recursos no ensino de história. Lisboa: Asa, 1993.
VILLALTA, Luiz Carlos. Dilemas da relação teoria e prática na formação do professor de História: Alternativas em perspectiva. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 13, n. 25/26, p. 163-174, set. 92/ago.93.

ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA E DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Paulo Eduardo Dias de Mello

Ementa:
Histórico  das  medidas  legais  (leis  e  pareceres)  que  instituíram  a  obrigatoriedade  da  inclusão  desses  conteúdos  nos  currículos  das  escolas brasileiras. As reflexões sobre a definição de parâmetros para o ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira e suas consequências na formação de professores de História, bem como a análise de experiências de implementação dos referidos conteúdos nos currículos escolares, considerando  os  temas  e  abordagens  privilegiados  por  professores  de  História  nas  escolas  e  a  produção  de  materiais  didáticos.  História  da África  como  disciplina  acadêmica:  discussão  sobre  temas  e  debates  presentes  no  ensino  universitário.  A  produção  de  saberes  a  partir  de sujeitos externos ao ambiente universitário: projetos, programas e a atuação de movimentos sociais e comunidades negras na construção do conhecimento nesse campo.

Bibliografia:
ABREU, Martha e SOHIET, Rachel. Ensino de História. Conceitos, temáticas e Metodologia. Rio de Janeiro: FAPERJ/Casa da Palavra, 2003.
ABREU,  Martha  e  MATTOS,  Hebe.  Em  torno  das  Diretrizes  Curriculares  para  a  Educação  das  Relações  Étnico-raciais  e  para  o  Ensino  de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana: uma conversa com historiadores. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, 21(41), jan./jun., 2008.
LIMA, Mônica. História da África: temas e questões para a sala de aula, Cadernos PENESB nº7. Rio de Janeiro/Niterói, Quartet/UFF, 2006, p. 71-105.
LOVEJOY, Paul e BOWSER, Benjamin (eds.). The transatlantic slave trade and slavery: new directions in teaching and learning. Trenton, NJ: Africa World Press, 2013.
OLIVA, Anderson Ribeiro. A história africana nas escolas brasileiras: Entre o prescrito e o vivido, da legislação educacional aos olhares dos especialistas (1995-2006). História. São Paulo, 2009, p.143-172.
OLIVEIRA, Luiz Fernandes. História da África e dos africanos na escola: desafios políticos, epistemológicos e identitários para a formação de professores de História. Rio de Janeiro: Imperial Novo Milênio, 2012.
PANTOJA,  Selma  &  ROCHA,  Maria  José  (orgs).  Rompendo  silêncios.  História  da  África  nos  currículos  da  Educação  Básica.  Brasília:  DP Comunicações, 2004.
ROCHA, Helenice, MAGALHÃES, Marcelo e GONTIJO, Rebeca (orgs). A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro: FGV, 2009.
SECAD  (Secretaria  de  Educação  Continuada,  Alfabetização  e  Diversidade)-Ministério  da  Educação.  Educação  anti-racista:  caminhos  abertos pela lei federal 10.639/03. Brasília: MEC-SECAD, 2005. 

ENSINO DE HISTÓRIA E A QUESTÃO DAS TEMPORALIDADES
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Renato Lopes Leite

Ementa:
Tempo  histórico  como  elemento  estruturante  da  produção  do  conhecimento  histórico.  Conceito  de  tempo  histórico  em  diferentes  matrizes teóricas.  O  tempo  histórico:  duração,  ritmo,  sucessão,  simultaneidade,  permanências  e  continuidades.  Ensino  de  história  e  regimes  de historicidade.  Desafios pedagógicos na recontextualização didática do tempo histórico. Conceitos como: narrativa histórica, identidade narrativa e consciência histórica. Tempo histórico e história ensinada: propostas curriculares, livros didáticos, narrativas de professores e alunos em sala de aula.

Bibliografia:
CARRETERO, Mario. Documentos de identidades: a construção da memória histórica em um mundo globalizado. Porto Alegre: Artmed, 2010.
PROST, Antoine. Doze lições sobre a história. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
GONTIJO, Rebeca; MAGALHAES, Marcelo; ROCHA, Helenice (orgs.).  A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro:FGV, 2009, p. 35-50.
HARTOG, François. Tempo e História: “Como escrever a história da França hoje?”. História Social, Campinas, Unicamp, n. 3, 1996, p. 127-154.
KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC-Rio, 2006.
LE GOFF, Jacques. História e memória. 5ª. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.
PEREIRA, Mateus Henrique de Faria. A máquina da memória. Almanaque Abril: O tempo presente entre a história e o jornalismo. Bauru: Edusc, 2009.
RÜSEN, Jörn. Como dar sentido ao passado: questões relevantes de meta-história. História da Historiografia (on-line), Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), nº 02, p. 163-209, março 2009.
RÜSEN,  Jörn.  Didática  da  História:  passado,  presente  e  perspectivas  a  partir  do  caso  alemão.  Práxis  Educativa.  Ponta  Grossa,  1(2):  7-16,jul./dez. 2006.
SARLO, Beatriz. Tempo Passado. Cultura da Memória e Guinada Subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras; Belo Horizonte: Editora UFMG,2007.

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL E ENSINO DE HISTÓRIA
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Paulo Eduardo Dias de Mello
– Silvana Maura Batista de Carvalho
– Maria Julieta Weber Córdova
– Maura Regina Petruski

Ementa:
O  ensino  de  História  e  o  campo  do  Patrimônio  Cultural  material  e  imaterial.  Exploração  das  conexões  das  instituições  de  memória  com  os campos da cultura, do mercado, da ciência e da educação. A partir de estudos de caso e de levantamentos gerais sobre a situação dos museus brasileiros, são examinadas as novas concepções de ensino de História nos museus trazidas pela discussão contemporânea sobre patrimônio, memória, identidade cultural e educação.

Bibliografia:
ABREU,  Regina.  CHAGAS,  Mário  (orgs.).  Memória  e  Patrimônio:  ensaios  contemporâneos.  Rio  de  Janeiro:  Lamparina,  2009.  ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
CHUVA,  Márcia.  Os  arquitetos  da  memória:  sociogênese  das  práticas  de  preservação  do  patrimônio  cultural  no  Brasil  (1930-1940).  Rio  de Janeiro:  ed.  UFRJ,  2009.  CASTRIOTA,  Leonardo.  Patrimônio  Cultural:  conceitos,  políticas  e  instrumentos.  São  Paulo:  Annablume,  2009.
CHOAY, Francoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: UNESCO, 2001.
FARGE, Arlette. Lugares para a história. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.
OLIVEIRA, Lucia Lippi. Cultura é Patrimônio: um guia. Rio de Janeiro: FGV, 2009.
SALVADORI, Maria Ângela Borges. História, Ensino e Patrimônio. Araraquara, SP: Junqueira & Marin Editores, 2010.
SANTOS,  Myrian  Sepúlveda  dos.  Museus  brasileiros  e  política  cultural.  Revista  Brasileira  de  Ciências  Sociais  19  (55):  53-73,  jun.  2004.
SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel. Aprender História: Perspectivas da Educação Histórica. Ijuí: Unijuí, 2009. SOARES, Andre Luis Ramos; KLAMT, Sergio. Educação Patrimonial: teoria e prática. Santa Maria: Editora da UFSM, 2007.

PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO E O UNIVERSO VIRTUAL
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Edson Armando Silva
– Silvana Maura Batista de Carvalho

Ementa:
Estudo de suportes tecnológicos aplicados ao ensino de História, tais como ambientes virtuais de aprendizagem, editores de texto colaborativo, aplicativos, jogos, entre outros. Construção de ambientes virtuais para realização de atividades de pesquisa e ensino de História na Educação Básica.

Bibliografia:
BRIGGS, Asa e BURKE, Peter. Uma história social da mídia – de Guttenbergh à internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.
BRUGGER, Niels. The archived website and website philology – a new type of historical document? Nordicom Review, 2 (29): 155-175, 2008.
CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet – reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.
DANTAS, CAMILA GUIMARAES. O passado em bits – memórias e histórias na internet. Rio de Janeiro: UNIRIO, dissertação de mestrado em Memória Social, 1998.
DARNTON, Robert. A questão dos livros: passado, presente e futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
JOHNSON, Steven. Cultura da interface – como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência – o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.
STALEY,  David  J.  Computers,  vizualization  and  History  –  how  new  technology  will  transform  our  understanding  of  the  past.  New  York:  M.E Sharpe, 2003.

NARRATIVA, IMAGEM E A CONSTRUÇÃO DO FATO HISTÓRICO
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Christiane Marques Szesz

Ementa:
Delimitação do campo de sentido de fato histórico: fato como narração, fato como condensação do tempo histórico. Conceituação de narrativa visual e os seus suportes. Mídia e a factualização da história, recursos para uma crítica e metodologias de análise. Estratégias de apresentação do fato histórico por meio de narrativas visuais.

Bibliografia:
CARDOSO,  Ciro  &  MAUAD,  Ana  Maria.  História  e  Imagem:  o  caso  da  fotografia  e  do  cinema.  In:  Domínios  da  História.  Rio  de  Janeiro:  Ed.Campus, 1997, p. 401-417.
CIAVATTA,  Maria.  O  Mundo  do  Trabalho:  A  Fotografia  como  Fonte  Histórica  (Rio  de  Janeiro,  1900-1930).  Rio  de  Janeiro:  DP&AEditora/FAPERJ, 2002.
DUBOIS, Philippe. O Ato Fotográfico. São Paulo: Editora Papirus, 2000.
FERREIRA, Jorge & SOARES, Mariza de Carvalho (org.). A História vai ao Cinema. Rio de Janeiro: Record, 2001.
FERRO, Marc. Cinema e História. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
KNAUSS, Paulo. Aproximações disciplinares: história, arte e imagem. Anos 90, Porto Alegre, UFRGS, 15(28): 151-168, dez. 2008.
MOCELLIN, Renato. Cinema e o Ensino de História. São Paulo: Nova Didática, 2002.

METODOLOGIA NO ENSINO DE HISTÓRIA: O PESQUISADOR-PROFESSOR E O PROFESSOR-PESQUISADOR
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Silvana Maura Batista de Carvalho
–  Angela Ribeiro Ferreira

Ementa:
O  método  de  pesquisar  História  e  o  método  de  ensinar  História.  A  pesquisa  histórica  no  ensino  de  História.  A  importância  do professor-pesquisador. A importância dos alunos-pesquisadores. A utilização de oficinas em sala de aula. A pesquisa e a internet. Elaboração de projetos específicos.

Bibliografia:
ABREU, Martha e SOIHET, Rachel (orgs.). Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra / FAPERJ, 2003.
CARRETERO, Mario (org.). Construir e Ensinar – As Ciências Sociais e a História. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
FERREIRA, Marieta de Moraes e FRANCO, Renato. Aprendendo História. São Paulo: Editora do Brasil, 2010.
KNAUSS, Paulo. Sobre a norma e o óbvio: a sala de aula como lugar de pesquisa. In: NIKITIUK, Sônia (org.). Repensando o ensino de história. São Paulo: Cortez, 1996.
LAGOA,  Ana  Mascia,  GRINBERG,  Keila  e  GRINBERG,  Lucia.
Oficinas  de  História:  projeto  curricular  de  Ciências  Sociais  e  de  História.  Belo Horizonte: Dimensão, 2000.
MACHADO, Nílson. Epistemologia e Didática: São Paulo, Cortez, 1996.
NETO,  José  Miguel  Farias.  Dez  Anos  de  Pesquisas  em  Ensino  de  História.  Anais  do  VI  Encontro  Nacional  de  Pesquisadores  em  Ensino  de História. Londrina, 2005.
Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 1998.
SOUSA, Ana et alii (org.). Novas estratégias, novos recursos no ensino de história. Lisboa: Asa, 1993.

CURRÍCULO DE HISTÓRIA: MEMÓRIA E PRODUÇÃO DE IDENTIDADE/DIFERENÇA
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Não
Carga Horária: 60
Créditos: 4
Docentes:
– Angela Ribeiro Ferreira
– Luis Fernando Cerri

Ementa:
Diferentes  concepções  de  currículo  e  suas  implicações  para  a  reflexão  sobre  o  ensino  de  história.  Relação  entre  currículo  e  memória  como territórios contestados. Diferenciação entre memória e história. Historiografia escolar, história ensinada e o debate político contemporâneo que envolve  a  questão  identitária.  Articulações  entre  os  diferentes  processos  de  identificação  (nacional,  sociocultural)  no  conhecimento  histórico didatizado. Currículo de história e a questão da alteridade no tempo e no espaço.

Bibliografia:
ANHORN, Carmem T. G. Um objeto de ensino chamado história. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Tese de Doutorado apresentada no PPGE, 2003.
FONSECA, T. N. de L. A História como disciplina escolar no Brasil. In: FONSECA, T. N. de L. História & Ensino de História. Belo Horizonte, Autêntica, 2003, p. 37-70.
MAGALHÃES, Marcelo, História e cidadania: por que ensinar história hoje? In: ABREU, M. e SOIHET, R. (orgs.). Ensino de História: conceitos, temáticas, metodologias. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003, p. 168-184.
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais – História. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais – Temas Transversais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.
SECRETARIA  DE  EDUCAÇÃO  MÉDIA  E  TECNOLÓGICA.  Parâmetros  Curriculares  Nacionais:  Ensino  Médio:  Ciências  Humanas  e  suas tecnologias. Brasília, DF: MEC/SEMT, 1999.
SILVA, Marcos A. Ensino de História, exclusão social e cidadania cultural – contra o horror pedagógico. In: LENSKIJ, Tatiana e HELFER, Nadir E. (orgs.). A memória e o ensino de história. São Leopoldo: ANPUH/RS, 2000.

SEMINÁRIO DE PESQUISA
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Sim
Área(s) de Concentração: Ensino de História
Carga Horária: 45
Créditos: 3
Docentes:
– Luis Fernando Cerri
– Rosângela Maria da Silva Petuba
– Edson Armando Silva
– Christiane Marques Szesz
– Maria Julieta Weber Córdova
– Maura Regina Petruski
– Paulo Eduardo Dias de Mello

Ementa:
Disciplina de discussão e desenvolvimento das pesquisas pelo conjunto dos alunos, com vistas ao desenvolvimento do projeto de trabalho final.

Bibliografia:
Não se aplica

SEMINÁRIO TUTORIAL
Nível: Mestrado Profissional
Obrigatória: Sim
Área(s) de Concentração: Ensino de História
Carga Horária: 45
Créditos: 3
Docentes:
– Luis Fernando Cerri
– Angela Ribeiro Ferreira
– Rosângela Maria da Silva Petuba
– Edson Armando Silva
– Silvana Maura Batista de Carvalho
– Christiane Marques Szesz
– Maria Julieta Weber Córdova
– Maura Regina Petruski
– Paulo Eduardo Dias de Mello

Ementa:
Acompanhamento do trabalho do aluno pelo professor-orientador com vistas à preparação do trabalho final e da sua defesa.

Bibliografia:
Não se aplica